O que é Cosmos (ATOM)? A chave para a interoperabilidade

¿Qué es Cosmos (ATOM)? La clave de la interoperabilidad

A interoperabilidade é um dos conceitos que mais ouvimos no ecossistema da criptomoeda e é, por sua vez, um dos propósitos que diferentes projetos como, por exemplo, o Polkadot procuram alcançar.  

No entanto, até agora, dentro de todas as galáxias que compõem o universo dos criptos, uma em particular que tem sido caracterizada por conseguir trocar dados e gerar interações eficientes e seguras entre diferentes protocolos e projetos de criptomoedas. 

Hoje faremos uma viagem pelo espaço, na qual visitaremos, como destino, a rede Cosmos.   

Nele, visualizaremos todas as estrelas e aglomerados estelares que compõem a origem da Cosmos (ATOM) e dos seus componentes

O que é Cosmos (ATOM)?

Cosmos (ATOM) é uma rede descentralizada de código aberto e blockchains independentes, cada uma alimentada por Tendermint Core, um protocolo de consenso BFT (Tolerância à Falha Bizantina) criado pela Tendermint.  

Por outras palavras, o ecossistema Cosmos é um sistema blockchain no qual cada bloco pode escalar e interoperar entre si.  

  Por conseguinte, o seu principal objetivo é facilitar a interoperabilidade ou, em  palavras simples,  a comunicação entre diferentes aplicações e projetos.   

Para isso, torna os blockchains poderosos e fáceis de desenvolver com a modularidade SDK da Tendermint BFT e cosmos.   

Além   disso, o projeto Cosmos (ATOM) tem a sua própria criptomoeda homónima,  projetada precisamente para escalar e interagir com diferentes blockchains, que usa um  algoritmo  de prova de participação (PoS). 

Honestamente, é uma definição cheia de conceitos e história por trás disso, então vamos por partes.

A origem do Cosmos

Em primeiro lugar, vamos olhar para a sua história e o que aconteceu para que hoje o Cosmos (ATOM) seja um projeto tão espetacular.   

Tudo começou em 2016, quando em Junho, o seu criador Jae Kwon publicou o seu artigo sobre um projeto chamado Gnuclear.  

O objetivo da Gnuclear era criar um sistema interoperável para blockchain que usou o protocolo de consenso Tendermint, uma empresa fundada, também, por Jae Kwon.  

Em Agosto, o projeto foi renomeado para Cosmos Project ou Cosmos Network. Face à necessidade de fundos para a realização do processo, em 2017, foi feita uma venda privada de uma certa quantidade de ATOM a preços diferentes (0,08 USD e 0,025 USD) o que resultou numa quantidade considerável de dólares.

A Kwon, tendo em conta os resultados do que precede, foi encorajada a lançar uma ICO (Oferta Inicial de Moedas) de fichas ATOM em 0,1 USD, com o objetivo de vender mais de 160 milhões de fichas.  Como resultado, colecionou 16 milhões de dólares.

Depois   disso, em Setembro deste mesmo ano, foi realizado o primeiro teste da tecnologia de token ATOM, onde foram encontradas falhas que levaram a equipa a rever o funcionamento do sistema.   

Finalmente, em 2019, foi lançada a principal rede Cosmos. Foi lá que o trabalho real da sua rede começou, depois de minerar o primeiro bloco dela. 

Qué es Cosmos

Quais são os componentes da Cosmos (ATOM)? Falemos do Tendermint Core, cosmos SDK e do Protocolo IBC.

Núcleo de Tendermint

Tendermint é um algoritmo criado por Jaek Won em 2014, com o objetivo de fornecer um algoritmo de alta segurança e velocidade.   

 Por  esta razão, a partir da  premissa da Tolerância à Falha  Bizantina (BFT), é composta por um conjunto de validadores que são responsáveis pela confirmação de novos  blocos  na blockchain.

Da mesma forma, replicam, de forma segura e consistente, uma aplicação em muitas máquinas, que faz blocos de anos, funcionarem em semanas.

Desta forma, a rede é protegida, as transações são validadas e os blocos são enviados para a blockchain. Para tal, liga-se entre aplicações utilizando o protocolo ACBI (Interface Blockchain de aplicação).    

Cosmos SDK

Para criar um ABCI seguro do zero, é difícil. É por isso que o Cosmos SDK existe.

O kit de desenvolvimento de software (SDK), permite que os desenvolvedores criem blockchains baseados no Cosmos Hub.  

Neste ambiente de desenvolvimento, o detentor do consenso é o algoritmo Tendermint, que minimiza a complexidade do processo de criação.   

Para isso, constrói um conjunto de módulos básicos que são necessários no Cosmos Hub.  Isto favorece duas coisas a acontecer:

    1. Os desenvolvedores podem fazer uso desses módulos pré-assinados para evitar os problemas que podem causar pensamento sobre fazer uma blockchain desde o início.
    2. Podem criar complementos e adicionar quaisquer funcionalidades adicionais que queiram

Para tal, nos seus módulos, inclui aspetos que influenciam a funcionalidade das redes blockchain, como a participação, governação, etc.  

 Protocolo IBC   

O Cosmos IBC Communication Protocol (ATOM) é um mecanismo que permite que informações e transações sejam transmitidas de forma livre e segura entre cada zona conectada.   

Nesse sentido, aproveita os consensos Tendermint para permitir que cadeias heterogéneas transfiram tokens ou dados entre si.  

Especificamente, uma vez que uma zona está ligada ao Cosmos Hub, é interoperável com todas as outras zonas conectadas, o que significa que blockchain com aplicações mais diferentes, validadores e mecanismos de consenso como Ethereum, Bitcoin ou mesmo Cosmos (ATOM) podem trocar dados.  

Qué es Cosmos

Como funciona a estrutura da rede Cosmos? 

A rede Cosmos é composta por três camadas: zonas, validadores e delegados.  

Zonas e centros: Vamos falar sobre cosmos hub.

Face à ideia de ligar cada blockchain na rede através de ligações IBC  diretas, as áreas da rede são blockchains heterogéneos  (Ex. Criptos como Bitcoin, Dash, Tron, entre outros).  

Em contraste, hubs, o centro da estrutura da Cosmos, são blockchains projetados especificamente para ligar zonas uns aos outros.  

Consequentemente, quando uma zona, como o Ethereum, cria uma ligação através do protocolo de comunicação IBC com um Hub, pode enviar e receber automaticamente dados ou tokens de outra zona que está ligada a ele.  

Desta forma, é como se fosse uma internet de Blockchains, onde, seja qual for o país, pode conhecer as últimas novidades da China ou do México em segundos ou fazer compras e vendas de artigos de outros mercados do mundo.

Nos hubs, evita-se a dupla despesa entre zonas, ou seja, quando uma zona recebe um símbolo de um hub, só precisa de confiar na área de origem deste token e no centro, que, através dos seus protocolos internos e hashes, evitará duplicação ou uso múltiplo de criptos.

O primeiro Hub a lançar a Cosmos Network foi o Cosmos Hub, que é uma cadeia pública de PoS (Prova de Aposta (Staking)), cujo símbolo nativo é o ATOM.
Validadores

Efetivamente,  o papel dos validadores é executar um nó inteiro e participar em consensos, votando com  assinaturas criptográficas.

Por exemplo, se estivesse a viajar para Itália, no aeroporto, um controlo oficial se satisfaça as condições e requisitos para viajar, tais como:

  • Seus documentos atualizados.  
  • O seu passaporte.
  • Uma bagagem segura, isto é,  sem  qualquer objeto ilegal ou substância dentro  
  • Se o dinheiro com que vai viajar, é permitido ou deve declarar pela sua quantia.

Depois, dir-lhe-ão se pode ou não embarcar.

Exatamente, este trabalho faria os validadores: eles verificam se todas as transações são válidas e estão em ordem e votam se pode ser aceite ou não.

Delegados

Os delegados são titulares do ATOM que não podem executar um validador por si mesmos, por isso delegam a ATOMS a um validador e obtêm uma parte das suas receitas em troca.

 Ou seja, são como os patrões de uma empresa que, com poucos funcionários, tiram vagas para contratar novas pessoas que podem executar as ações que não lhes caem.   

Os delegados desempenham um papel fundamental, uma vez que são os chefes de recursos humanos que participam nos processos de seleção de validadores num hub.  

Assim,  depois de  os apresentarem à empresa, devem monitorizar ativamente as suas ações e participar na  votação.  

Ah, sim! Atenção, Houston! Temos um problema. Chegamos ao fim do nosso artigo e assim que pudemos aterrar na Galáxia cosmos  (ATOM), não podíamos mais fazer tournée.

Para uma próxima descolagem para outras galáxias, dirija-se ao nosso blog principal, onde encontrará muito mais informação sobre este enorme universo que estamos apenas descobrindo na sua totalidade.   

Até a próxima vez, Bitnauta!

Que lhe possa interessar…